Ansiedade e depressão: como podem afetar sua dieta

Ansiedade e depressão: como podem afetar sua dieta

É perfeitamente normal sentir ansiedade e depressão ocasionalmente, especialmente em resposta as dificuldades da vida. No entanto, quando esses sentimentos se tornam prolongados, desproporcionais ou aparentemente sem motivo significativo, eles precisam ser abordados.

Felizmente, os métodos de diagnóstico e tratamento percorreram um longo caminho, com muitas campanhas de saúde pública trabalhando para trazer as doenças mentais “para fora das sombras”.

A co-ocorrência de ansiedade e depressão é uma característica notável desses distúrbios. Embora os sintomas comportamentais e emocionais possam diferir entre os dois, o fato é que eles são um estado não natural e indesejável de saúde mental.

Caracterizada por um constante estado avassalador de medo ou preocupação, a ansiedade também pode ser debilitante em suas manifestações físicas. Os sintomas da depressão podem ser semelhantes com sentimentos implacáveis ​​de tristeza ou desespero.

A causa exata ainda não está clara; no entanto, acredita-se que mudanças na química do cérebro, fatores genéticos e função hormonal tenham um papel. Independentemente da causa, a doença mental requer e geralmente responde ao tratamento profissional.

Melhores métodos de tratamento de ansiedade e depressão

Nossa compreensão da doença mental evoluiu ao longo do tempo, mas ainda apresenta certas dificuldades. Em termos de diagnóstico, depressão e ansiedade afetam principalmente a maneira como um indivíduo pensa e sente e, na maioria dos casos, se comporta posteriormente; portanto, geralmente confiamos nos pacientes para identificar essas mudanças e procurar ajuda.

Em alguns casos, familiares ou amigos íntimos podem ser capazes de identificar indivíduos vulneráveis ​​e ajudar a solicitar atenção. Uma vez diagnosticado, no entanto, o tratamento pode ser bem-sucedido usando uma variedade de abordagens; os mais comuns são terapias psicológicas ou “terapias de conversação”.
Tais terapias são geralmente administradas por um psicólogo qualificado e envolvem modificação de comportamento (Terapia Comportamental Cognitiva ou TCC) ou exame de padrões e comportamentos intrapessoais e interpessoais.

Geralmente, será realizado um trabalho para identificar e abordar os principais gatilhos e formas de gerenciar eventos futuros. Tais terapias geralmente são combinadas com o foco na melhoria da nutrição e no incentivo ao exercício regular, o que por si só pode promover ativamente um estado mental saudável.

De fato, um primeiro passo seguro e eficaz para o auto-empoderamento é o controle da dieta. Os benefícios são psicológicos e fisiológicos. Reduzir ou eliminar picos causados ​​por alimentos e estimulantes carregados de açúcar, como excesso de café, cigarros, etc., ajudará a reduzir os sentimentos debilitantes associados à ansiedade geral.

Saiba mais

Conheça os benefícios da semente de chia para sua saúde física e mental

Crianças e adultos podem ser afetados

Infelizmente, jovens e crianças são igualmente vulneráveis ​​a doenças mentais, como ansiedade e depressão. Embora muitas vezes mais difíceis de detectar, uma vez diagnosticadas, as terapias aplicadas especificamente projetadas para crianças geralmente podem ajudar a criança a viver uma infância mais feliz e gratificante.

Uma infância mais feliz prepara melhor a criança para lidar com o estresse da adolescência e da idade adulta. A transição saudável e segura da idade adulta jovem permite que o indivíduo se prepare e viva um sentimento de vida no controle, com poderes e capaz de lidar com os desafios do dia a dia.

Finalmente, e depois de explorar outras opções, talvez seja necessário o uso de medicamentos antidepressivos. Isso depende da gravidade da doença e é mais frequentemente usado em conjunto com psicoterapias. Antidepressivos podem ser muito eficazes em algumas situações. Como em qualquer caso médico, o tratamento é idealmente adaptado especificamente para o indivíduo, com base em um estudo completo da história pessoal de sintomas, respostas e ambiente.

Como ansiedade e depressão podem afetar sua dieta

Não é de hoje que a medicina estuda esse fenômeno. A alimentação emocional certamente é um ponto conhecido por todos, pelo menos uma vez na vida o ser humano moderno alimentou-se puramente por questões emocionais.

Está difícil de entender? Sabe aquela memória da mesa da casa de vó com bolo quentinho, e ambiente reconfortante? Em algum momento seu cérebro guardou essa imagem ligada a comida, e no futuro ao se sentir só, ou precisando de colo seu cérebro lhe lembrou da comida e comer aquele bolo, mesmo que imperceptivelmente lhe dá a mesma sensação de quando você estava segura na casa de sua avó comendo aquele bolo.

Então por diversas vezes quando precisamos de algo emocionalmente nosso cérebro erroneamente manda a mensagem que devemos comer, não porque temos fome de comida, mas porque precisamos daquela sensação que no passado era oposta a esta atual.

Funciona exatamente do mesmo jeito com depressão e ansiedade, muitas pessoas, na busca de sair desses estados emocionais descontam tudo na comida.

Agora que você já sabe que nem sempre sua fome é por comida, todas as vezes que procurar comida fora de hora ou em demasia, pare, respire e pense de que você tem fome?

Se você está em depressão ou conhece alguém que esteja, procure ajuda urgente. Quer saber quais alimentos podem ajudar a sair da depressão leia esse post aqui.

Siga e curta:

One thought on “Ansiedade e depressão: como podem afetar sua dieta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.